Como está seu Plano de Voo?


Vale a pena investir no planejamento estratégico se o cenário pode mudar a qualquer momento?


Utilizarei a frase do Senador Romano, Lucius Anneus Sêneca para embasar essa resposta: “não há vento favorável para quem não sabe aonde quer ir.”


Recentemente fiz uma viagem para Dourados MS e quando levantamos voo o piloto nos deu as boas vindas, informou da temperatura e também do tempo estimado para nosso destino final.


Durante a viagem o alerta de atar cintos se ascendeu e o piloto novamente avisou que passaríamos por uma área de grande turbulência e que, pelo porte do avião, teria que alterar a rota, o que implicaria para nós passageiros, num acréscimo no tempo de viagem. Imagino que para a tripulação, implicaria em outros custos, desgastes e preocupações que não estavam previstas no momento da decolagem.


Esse episódio me fez lembrar o trecho de um livro que estava lendo nesses dias, onde o piloto de um Boeing era indagado sobre o que era mais importante para pilotar um avião daquele tamanho.


Ele respondeu: “dominadas as técnicas e sabendo quais botões apertar, o mais importante é saber o destino final”. Quando eu sei o destino, eu vou traçar a melhor rota, escolher as pessoas mais indicadas para as características da viagem, as manutenções, quantidade de combustível, alimentação, enfim, tudo que é necessário para que cheguemos ao destino final no menor tempo e da melhor forma possível.


Compartilho com vocês agora, a minha vivência e experiência pessoal de atuar em empresas e projetos com e sem planejamento. E digo: sim! Vale a pena planejar. Vale a pena traçar a melhor rota, mesmo que tenhamos que alterar essa rota durante nossa jornada, nós saberemos onde queremos chegar. Então:


  • Levante voo sabendo exatamente o destino final (Visão de futuro). Não fique por ai voando a toa, gastando energia, combustível, recursos financeiros com pessoas desnecessárias se você nem sabe para onde vai.

  • Conheça o seu potencial e tenha convicção do que nasceu para fazer (Missão empresarial / Propósito). Tem muita gente com um Boeing nas mãos e agindo como se fosse um teco-teco, ou ainda pior, querendo colocar esse avião para andar no asfalto junto com carros. Não atrase seu destino.

  • Pense, reflita, escolha seus valores. O valor é uma escolha. Eles irão nortear todas as suas decisões e das pessoas que você escolher para estar contigo nessa jornada. Faça com que esses valores sejam inalienáveis, ou seja, nada fará com que sejam corrompidos. Não abra mão disso. “Queira ir tão longe quanto seus valores permitirem” já dizia Fábio Babosa, um bem sucedido executivo.


E por falar em pessoas, dedique sua vida para escolher, desenvolver, estimular e envolver as pessoas que estarão com você nessa jornada na sua empresa. Por mais que seja você quem detenha a visão de futuro, quem já construiu no seu imaginário tudo acontecendo no futuro, você jamais conseguirá fazer isso sozinho.


São as pessoas (sua equipe) que transformarão sua Visão em realidade. Cada uma do seu jeito, com suas manias, sua personalidade, suas particularidades e expertises. Todas juntas com um único e nobre propósito. Todas no mesmo avião, voando na mesma direção. Tenha a convicção de que, quanto mais pessoas se beneficiarem com essa conquista, mais as pessoas irão se envolver. Essa é a chave da unidade.


Antes de partir, analise no cenário externo, tudo que pode favorecer e tudo que pode dificultar ou impedir essa viagem. Vale destacar que no cenário externo não se tem como interferir, mas é possível aproveitar ou mesmo alavancar as oportunidades, e mitigar ou neutralizar as ameaças com ações estratégicas.


Na nossa analogia podemos ter como exemplo de cenário externo: o tráfego aéreo, o clima, turbulências, aeroportos fechados, etc. Já no cenário interno se tem total capacidade de interferência.


São nossas forças e fraquezas, ou seja, tudo que pode impedir e/ou dificultar, assim como facilitar a nossa jornada. Exemplos: capacidade de passageiros, tripulação, autonomia de voo, manutenções entre outras variáveis. Geralmente, na identificação de ações estratégicas para neutralizar as fraquezas que vem as grandes transformações do cenário interno da empresa.


Por isso reforço a importância de dedicar tempo e utilizar uma metodologia que facilite o diálogo, participação e liberdade das pessoas para expor suas opiniões sem correr o risco de se sentirem julgadas ou cerceadas ao expor suas percepções. Só melhoramos aquilo que reconhecemos que precisamos melhorar.


Defina as prioridades empresariais que terão todo o foco de atenção e ação para que conquistemos a Visão de futuro. A escolha dessas prioridades será com base no desejo dos acionistas/sócios cotistas e necessidades dos clientes, que se constituem nas fontes de vida de uma empresa. Sem eles a empresa não existe e é preciso deixá-los felizes e satisfeitos com o desempenho e as entregas dos resultados pactuados.


No mais, aproveite o voo e desfrute de todo o percurso. Quando chegar ao destino final olharás para trás, verás que tudo valeu pena, e que está na hora de alçar voos ainda maiores.


Tripulação, decolagem autorizada!